Fundo para Parcerias Público-Privadas terá recursos do BID

O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Enrique Iglesias, e o ministro do Planejamento, Guido Mantega, anunciaram hoje a criação de um fundo de participação de até US$ 575 milhões para financiar prioritariamente os futuros empreendimentos que serão criados sob o regime de Parcerias Público-Privadas (PPP).De início, o Fundo de Equity, como é chamado no mercado financeiro o fundo de participação, receberá US$ 75 milhões do BID, que negocia com bancos privados um aporte de mais US$ 500 milhões. "Temos negociação em curso, mas não podemos anunciar", disse Iglesias.De acordo com Mantega, o fundo funcionará de modo semelhante ao de um fundo de renda fixa, no qual qualquer instituição financeira adquire uma cota de participação. A diferença é que, em vez de usar o dinheiro em títulos da dívida pública, o fundo deverá aplicar diretamente, ou via empréstimos, em projetos de infra-estrutura da PPP, como construção de estradas, portos, ferrovias e hidrelétricas.O presidente do BID explicou que o futuro administrador do fundo será selecionado por meio de um concurso aberto e 80% do capital mobilizado será destinado a empréstimos. "Essa iniciativa é pioneira na América Latina e importante para o desenvolvimento do mercado de capitais no Brasil", disse Iglesias. Alternativa de aplicaçãoSegundo o ministro do Planejamento, com a queda da taxa de juros no País, o Fundo de Equity e os investimentos da PPP tendem a se tornar uma alternativa mais rentável para os fundos de pensão, formados basicamente por cotas de fundos e títulos de renda fixa. Mantega informou ainda que o BNDES também deverá criar um fundo semelhante ao do BID e em valor equivalente, com a mesma finalidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.