Fundo soberano de Cingapura mira investimento no Brasil e México

O fundo soberano de Cingapura,Temasek Holdings [TEM.UL], anunciou nesta terça-feira, planospara ampliar sua presença no Brasil e México para se aproveitardo crescimento das economias emergentes da América Latina. A decisão reforça foco externo recente do fundo para alémde seu mercado principal asiático que exclui o Japão erepresenta 78 por cento de seu portfólio de 164 bilhões dedólares de Cingapura (120,5 bilhões de dólares) no ano passado. A empresa estatal informou que contratou Lorenzo GonzalezBosco, ex-presidente-executivo do Barclays Bank no México, paraser o diretor-gerente de investimento no México. A Temasek anunciou ainda que vai realocar Alan Thompson,diretor-gerente de investimento na América Latina, para SãoPaulo ainda neste ano. "Nós acreditamos que a região da América Latina tem umpotencial de longo prazo e oferece perspectivas deinvestimentos atraentes", afirmou em comunicado ovice-presidente de investimento, Tow Heng Tan. "Nós veremosseriamente as oportunidades que podem aparecer, mas também nãoestamos procurando fixar nenhuma meta de valor de investimentoespecífico em nenhum prazo." A Temasek é liderada por Ho Ching, esposa doprimeiro-ministro de Cingapura, Lee Hsien Loong. No último ano,o fundo se juntou a outros fundos soberanos do Oriente Médio eda Ásia para fornecer recursos a bancos norte-americanos eeuropeus evitando que estes entrassem em colapso por problemascom o mercado de hipotecas de alto risco norte-americano. Em 2007, o fundo ainda fez grandes investimentos em bancosocidentais como Merrill Lynch e Barclays. Com um Produto Interno Bruto combinado de 3,3 trilhões dedólares e crescimento econômico de 5,2 por cento no anopassado, a América Latina abriga algumas das economias maisfortes do mundo, segundo o comunicado da Temasek. O Brasil e o México são responsáveis por 70 por cento doPIB latino-americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.