Fundo soberano do Kuwait vende participação no Citi

A Autoridade de Investimento do Kuwait, o fundo soberano do país do Golfo, informou hoje que vendeu sua participação de US$ 4,1 bilhões no Citigroup, tendo lucro com o negócio. O fundo, também conhecido como KIA, afirmou que lucrou US$ 1,1 bilhão com a transação, um retorno de 36,7% para seu investimento, segundo um comunicado divulgado por e-mail. "A autoridade converteu suas ações preferenciais para ações ordinárias, após negociações com a administração do banco, vendendo todas as ações por US$ 4,1 bilhões", diz o comunicado.

AE, Agencia Estado

06 de dezembro de 2009 | 15h45

O KIA investiu US$ 3 bilhões no Citi e outros US$ 2 bilhões no Merrill Lynch em 2008, conforme os bancos de Wall Street se voltaram para investidores do exterior, a fim de repor o capital atingido pelas perdas com hipotecas de alto risco nos EUA. Os fundos soberanos estão se desfazendo de investimentos em bancos ocidentais, após comprar grandes parcelas deles quando as ações atingiam mínimas, no auge da crise financeira global.

A saída do Kuwait do Citi ocorre quando um fundo soberano rival, a Autoridade de Investimento de Abu Dabi, pode ter que pagar mais por US$ 7,5 bilhões em ações da Citi. O fundo de Abu Dabi se comprometeu a comprar essas ações por US$ 31,83 cada, em um acordo fechado há dois anos.

O fundo baseado nos Emirados Árabes Unidos, também conhecido como ADIA, comprometeu-se em novembro de 2007 a injetar bilhões no Citi, em troca de um dividendo de 11% até março do ano que vem, quando tem de começar a vender as ações ordinárias do banco. A ação do banco comercializada em Nova York fechou a US$ 4,09 na semana passada.

Tanto o KIA como o ADIA ajudaram a resgatar o Citi, que recebeu duas injeções de capital do Tesouro dos EUA, o que deixou o governo norte-americano com 34% do banco. Em março, as ações do Citi chegaram a valer menos de US$ 1. Os fundos soberanos do Golfo, cheios de petrodólares vindos de uma valorização de seis anos do petróleo encerrada em 2008, injetou bilhões nos bancos ocidentais no ano passado, quando as instituições estavam em dificuldade.

O KIA é um dos mais antigos e experientes de vários fundos soberanos de governos do Oriente Médio, com investimentos estimados em mais de US$ 200 bilhões. Seu investimento no Citi gerou críticas por parte de autoridades do Kuwait, temendo grandes perdas para a riqueza da nação. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
CitigroupKuwaitfundo soberano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.