Fundo soberano não usará dinheiro das reservas, diz Mantega

Segundo o ministro da Fazenda, fundo será abastecido com dólares adquiridos diretamente no mercado

Fabio Graner, da Agência Estado,

22 de novembro de 2007 | 15h45

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta quinta-feira, 22, que o fundo soberano de reservas que está sendo preparado pelo governo será abastecido com dólares adquiridos diretamente no mercado e não com recursos retirados das reservas internacionais. Segundo Mantega, a idéia inicial é que este fundo tenha cerca de US$ 10 bilhões.  De acordo com ele, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) poderá ser beneficiado por este fundo à medida que a carteira terá autorização para comprar papéis como debêntures. Desta forma, o banco brasileiro poderá obter funding para fazer novos empréstimos vendendo papéis próprios para o fundo.  Exportação O ministro concordou ainda com os pedidos feitos por senadores para que o governo federal aceite que a isenção fiscal para equipamentos a serem utilizados nas Zonas de Processamento de Exportação (ZPEs) tenha validade também para equipamentos usados.  Mantega disse ter concordado em permitir que os dólares obtidos com as vendas para o exterior realizadas nas ZPEs sejam mantidos fora do País, sem a obrigação de internalização. Atualmente, a regra geral é que, no máximo, 30% das receitas de exportação fiquem fora do País. Segundo ele, a autorização será mais um privilégio para as ZPEs, que visam a estimular as exportações e o desenvolvimento das regiões em que ficam localizadas.  O ministro destacou também que as operações nas ZPEs não pagarão CPMF. "Devagarzinho, vamos acabando com a CPMF", brincou ao deixar o Ministério da Fazenda e se encaminhar ao Palácio do Planalto.

Tudo o que sabemos sobre:
Guido MantegaFundo soberano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.