Fundos agrícolas ainda atraem poucos

Apesar da maior atenção em relação aos ativos agropecuários da BM&F, o desenvolvimento efetivo desse mercado e a sua atratividade como opção de investimento ainda carece de volume de negócios, segundo os analistas ouvidos pela Agência Estado.Para o diretor de renda variável e fixa da Lloyds Asset Management, Marcelo Maneo, é natural que mercados alternativos como de agropecuários apareçam como opção diante da queda dos juros reais, mas seu baixo volume de negócios impede um crescimento mais expressivo. "Somente um desenvolvimento forte e o conseqüente ganho de liquidez na bolsa de futuros poderiam incentivar uma migração mais expressiva de recursos sobre esse perfil de fundo de derivativos", completa.De acordo com dados da BM&F, o mercado de agropecuários tem crescido bastante nos últimos anos, mesmo que ainda continue pequeno se comparado ao tamanho dos mercados clássicos de juros e câmbio futuros. Nos mercados mais líquidos da BM&F, Café, Boi Gordo e Açúcar, os números de contratos deverão bater recorde neste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.