Fundos brasileiros são destaque na América Latina

A captação líquida dos fundos brasileiros em fevereiro atingiu US$ 1,6 bilhão e colocou novamente o País na condição de destaque na América Latina. Enquanto o crescimento real na região foi de 0,76%, no Brasil a evolução foi de 1,63%.Segundo levantamento da Thomson Financial Brasil, uma consultoria de origem canadense que fornece estudos para bancos e corretoras de vários países, a política restritiva - com elevada taxa de juros para tentar conter a inflação - contribuiu para atrair recursos dos investidores para os fundos de Renda Fixa e DI, que registraram captação positiva de R$ 5,59 bilhões ou US$ 1,596 bilhão.Segundo a consultoria, a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de elevar a taxa básica de juros para 26,5% ao ano no mês passado permitiu rendimentos de 2% ao mês nos produtos de baixo risco e atraiu os investidores de perfil conservador.Os bancos de varejo tiveram forte destaque entre as instituições que mais captaram recursos. O Banco do Brasil liderou a lista com US$ 418,13 milhões; seguido pelo Banco Itaú, com US$ 334,25 milhões; Citibank, com US$ 223,83 milhões; Bradesco, com US$ 182,64 milhões e Caixa Econômica Federal (CEF), com US$ 170,31 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.