Fundos cambiais lideram rendimento no ano

Dados da Associação dos Bancos de Investimento (Anbid) revelam que, até o dia 3 de novembro, os fundos cambiais, ou seja, aqueles que acompanham a variação do dólar, oferecem a maior rentabilidade acumulada no ano, perdendo apenas para os fundos de privatização da Petrobras. Nesse período, a rentabilidade nominal - sem desconto de Imposto de Renda e taxa de administração - dos fundos cambiais é de 14,85%. Em seguida, vêm os fundos de renda fixa prefixados com rendimento de 14,33%. Os fundo DI, ou pós-fixados que acompanham as taxas de juros, acumulam no ano rentabilidade de 14,25%. No caso dos fundos de ações, o rendimento está em 3,45%.A expectativa para o dólar é de mais oscilações até o final. O cenário internacional está muito indefinido, com a instabilidade econômica na Argentina, a alta do preço do petróleo e estratégia de desaquecimento da economia norte-americana. De acordo com Júlio Ziegelmann, diretor de renda variável da BankBoston Asset Management, enquanto a forma para o financiamento da dívida da Argentina em 2001 não estiver definida, as cotações do dólar devem continuar oscilando. Em função disso, os ativos atrelados à moeda norte-americana podem até permanecer na liderança em rentabilidade. Porém, ao optar por essa aplicação, o investidor pode registrar perdas, já que, caso necessite do dinheiro, poderá ser obrigado a resgatá-lo em um momento de baixa nas cotações. Isso acontece devido à oscilação do ativo. Vale lembrar que os fundos cambiais são indicados para quem tem dívidas em dólar, pois permitem que o resultado do investimento seja compatível com a evolução da dívida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.