Fundos com carência têm bom desempenho

Em agosto de 1999, com a nova legislação dos fundos de investimentos, a maioria dos fundos passou a ter liquidez diária, ou seja, o investidor pode sacar o investimento a partir do primeiro dia da aplicação. Quase toda a indústria de fundos aderiu ao sistema. Mas ainda existem carteiras que só permitem saques remunerados diários após uma carência inicial de 30, 60 ou 90 dias. O cliente que opta por essas carteiras ganha em troca rendimento final superior ao oferecido pelos fundos com liquidez diária da instituição. Para se ter uma idéia, no Bradesco, quem aplicou R$ 1 mil em 3 de janeiro obteve rendimento bruto, descontada a CPMF, no fim de maio de 5,97%, no fundo diário - FIF Renda Fixa. Já no FAQ 60, com liquidez diária após 60 dias, o rendimento foi de 6,17%, no mesmo período, e de 6,45%, no FAQ 90, com liquidez diária a cada 90 dias e reembolso do tributo.No Banco do Brasil, a maioria dos fundos exige carência inicial de 30 ou 60 dias. As opções com saque diário só são competitivas para o investidor que fizer depósito inicial mínimo de R$ 100 mil. No Banespa, quem tem menos de R$ 50 mil tem de cumprir carência, se desejar rendimento maior, pois apenas o investidor com quantia acima dessa tem nos fundos diários da instituição rentabilidade atraente. Administradores explicam a rentabilidade melhor Segundo administradores dessas carteiras, o rendimento superior nos fundos com carência é motivado por três fatores. São eles:1) Como o fundo fica menos sujeito a saques no dia a dia, o administrador pode adquirir papéis de prazo mais longo, que são mais rentáveis que os de curto prazo. Assim, incrementa a variação da cota.2) Como o fundo tem carências de até 90 dias, a antecipação do Imposto de Renda sobre o rendimento da carteira, por alíquota de 20%, só é feita nessas periodicidades. Com isso, o fundo mantém um patrimônio maior por um período mais longo para obter retorno de suas aplicações. Nos fundos com liquidez diária, a antecipação é mensal.3) Alguns desses fundos reembolsam a CPMF, que hoje é de 0,38% e cai para 0,30% no sábado. Mas fique atento: nesses fundos, a taxa de administração pode ser maior que naqueles que cobram o tributo, como forma de compensação.Um risco nesses fundos é que, se houver necessidade de saque antecipado, não será pago o rendimento desde o último vencimento. Veja na seqüência, os produtos com carência oferecidos pelo Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Banespa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.