Fundos da Vale começam junho com ganho

Os fundos de privatização da Companhia Vale do Rio Doce começam o mês de junho com rendimento positivo. De acordo com dados da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid), as carteiras formadas por recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) tiveram ganho nominal de 1,86% no primeiro dia útil do mês. Já as carteiras formadas por recursos próprios apresentaram rentabilidade de 1,85%. No ano, o ganho bruto acumulado é de 40,72% e 44,31%, respectivamente.O rendimento apresentado pelos fundos Vale pode sofrer uma incidência menor de Imposto de Renda (IR), caso o investidor tenha apurado perdas em um fundo de investimento referenciados DI (pós-fixados), ambos sob a mesma gestão. Trata-se do sistema de compensação tributária, um procedimento não obrigatório, que foi permitido depois que a Instrução Normativa nº 119, do dia 10 de janeiro, regulamentou a Medida Provisória nº 16, a qual estabelece a compensação de perdas em diferentes fundos de investimento com a mesma alíquota de IR e de um mesmo gestor.A compensação tributária poderá ser feita até o exercício fiscal subsequente ao do resgate total. Isso já era realizado dentro de uma mesma carteira. A partir da nova regra, o sistema é válido para carteiras distintas com gestão de uma única instituição e mesma alíquota de IR. BankBoston, Opportunity e Unibanco foram as primeiras instituições a implantar o sistema.Vale destacar que o cálculo do rendimento de um fundo é dado na data de incidência do IR. Ou seja, nas carteiras tributadas mensalmente, como fundos cambiais e fundos de renda fixa, o valor do ganho ou da perda é apurado a cada mês. Já nos fundos de ações, que sofrem a incidência de IR apenas no resgate, a apuração do resultado também será no resgate.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.