finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Fundos de ações emergentes têm entrada de capital após 11 semanas

Maiores fluxos de entrada de recursos foram registrados na Coreia do Sul, China e Taiwan

Danielle Chaves, da Agência Estado,

21 de outubro de 2011 | 12h16

SÃO PAULO - Os fundos de ações dedicados a mercados emergentes tiveram fluxo positivo de capital na semana até 19 de outubro, após onze semanas seguidas de saldo negativo, afirmou o Morgan Stanley, com base em dados da EPFR Global. A entrada de capital somou US$ 660 milhões no período.

Os maiores fluxos de entrada de recursos na semana foram registrados por fundos dedicados a ações da Coreia do Sul, que teve saldo positivo de US$ 100 milhões. China e Taiwan atraíram US$ 80 milhões. Já a Rússia registrou a maior saída de capital, de US$ 110 milhões.

No ano até agora, os fundos dedicados a ações de mercados emergentes tiveram fluxo negativo de US$ 40,4 bilhões, 22% menos do que o volume de capital que deixou os fundos no mesmo período de 2008. China lidera o ranking com saída de US$ 8,65 bilhões, seguida por Brasil (US$ 8,1 bilhões) e Índia (US$ 5,17 bilhões).

Os fundos dedicados a mercados desenvolvidos tiveram fluxo negativo de US$ 260 milhões na semana até 19 de outubro, com Suíça e Reino Unido apresentando as maiores perdas de capital, ambas de US$ 120 milhões, e a Alemanha tendo a maior entrada de recursos, de US$ 460 milhões.

No ano até agora, os fundos de ações de mercados desenvolvidos tiveram saída de US$ 60 bilhões, com US$ 57 bilhões sendo retirados dos EUA. Alemanha e Japão registraram entrada de US$ 14,8 bilhões e US$ 3,3 bilhões, respectivamente.

Os ativos totais sob gerenciamento de fundos dedicados a ações de mercados emergentes somaram US$ 615 bilhões na semana até 19 de outubro, 18% abaixo da máxima histórica de US$ 749 bilhões. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.