Fundos de ações Galleas são fechados para aplicações e resgate

De acordo com comunicado no site da empresa, decisão "busca preservar o valor dos investimentos dos cotistas

Mariana Segala, da Agência Estado,

14 Outubro 2008 | 20h11

A gestora de recursos EM Galleas fechou seus dois fundos de ações- o Galleas 90 e o Galleas Partners I - para aplicações e resgates na segunda-feira à noite. De acordo com comunicado aos cotistas disponibilizado no site da empresa, a decisão "busca preservar o valor dos investimentos dos cotistas com capacidade de permanência e visão de longo prazo". Ainda de acordo com o documento, "os fundos foram constituídos com prazos de resgate que se mostraram incompatíveis com a reação de alguns investidores sob condições de extremo estresse".   Veja também: Em meio à crise, empresas têm que pagar US$ 15 bi ao exterior Consultor responde a dúvidas sobre crise   Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise    No comunicado, a equipe de gestão da EM Galleas propõe aos clientes uma associação com a Fator Administração de Recursos. "Mesmo em momentos de adversidade, a FAR vem mostrando capacidade de entregar resultados superiores à indústria de fundos", diz o documento.   Rentabilidade negativa   De acordo com o site da EM Galleas, o fundo Galleas Partners I tinha ontem um patrimônio líquido de R$ 72,543 milhões e o fundo Galleas 90, de R$ 9,998 milhões. Neste ano, o Galleas 90 acumula rentabilidade negativa de 55,99% e o Galleas Partners, de 39,2%, até o dia 10 de outubro, segundo o site financeiro Fortuna.   A empresa gestora, segundo o fato relevante divulgado ontem, convocou uma assembléia geral com os cotistas para o dia 28 de outubro. O administrador dos fundos é o banco suíço UBS Pactual.   Na semana passada, foram fechados os fundos GWI Fundo de Investimentos em Ações (GWI FIA) e o GWI Classic Fundo de Investimento em Ações (GWI Classic), sob gestão da GWI Asset Management. A razão foi o "agravamento das condições do mercado nos últimos cinco dias (até a quarta-feira passada, dia 8), que levaram o fundo a uma situação delicada de liquidez", de acordo com comunicado aos cotistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.