Fundos de ações registram captação

Dados da Anbid - Associação Nacional dos Bancos de Investimento -, revelam que os fundos de ações captaram recursos no início do mês. De acordo com apuração de Nívea Vargas, na primeira semana, a entrada de recursos foi de R$ 32,65 milhões. Só no dia 4 de setembro, os fundos de renda variável arrecadaram R$ 23,65 milhões. O resultado não é expressivo, mas já registra um melhora em relação ao mês de agosto, quando o segmento registrou uma saída de R$ 7,96 milhões. Na semana passada, o volume de negócios foi baixo devido ao feriado do Dia do Trabalho nos Estados Unidos e ao feirado de 7de setembro no Brasil. De acordo com dados da Bolsa de Valores de São Paulo -Bovespa -, a média diária até o dia 5 de setembro foi de R$ 583,26 milhões. Essa baixa movimentação nos negócios também foi verificada ontem (veja mais informações no link abaixo).Os fundos prefixados e os fundos DI - que acompanham as taxas de juros -, apresentaram perda de recursos até o dia 5, R$ 535,53 milhões e R$ 579,94 respectivamente. Porém, a primeira semana de cada mês não é uma boa base de avaliação, já que nessa época as pessoas costumam sacar recursos para pagar dívidas.Perfil do investidor e prazo de aplicação devem ser analisadosPara o investidor decidir onde aplicar seu dinheiro, o fundamental é saber qual é seu perfil e por quanto tempo ele pretende deixar o dinheiro aplicado. Se o investidor precisar do dinheiro no curto prazo, para que ele não corra risco, é aconselhável a aplicação em fundos DI. Nos fundos prefixados, a chance de ganho é maior. Porém, é preciso levar em consideração a duration - prazo de vencimento - dos papéis e a porcentagem de prefixados que compõem a carteira. Se o investidor puder deixar o dinheiro aplicado por períodos maiores, os fundos de ações são as melhores indicações. Porém, não há nenhuma garantia de rentabilidade. Para quem não tem uma tolerância maior ao risco mas quer tentar conseguir ganhos mais expressivos, os fundos multicarteira - que comportam ativos de renda de fixa e de renda variável - são uma boa opção no momento. O risco é menor, em relação a um fundo de ações, mas pode permitir um ganho maior, em relação aos fundos de renda fixa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.