Fundos de ações têm bom desempenho em junho

Os fundos de ações continuam com um ótimo desempenho. Em junho, esses fundos estão entre os 10 mais rentáveis e os 30 melhores, com rentabilidade de 8,15% a 9,27% acumulada até o dia 15. Mesmo com esses bons resultados, os fundos de ações não conseguiram se recuperar dos maus desempenhos dos meses anteriores, e muitos ainda estão com remuneração negativa no ano.Os fundos de renda fixa tradicionais são os que apresentam o melhor rendimento acumulado no ano. Entre os 30 maiores e 10 mais rentáveis, o nível de remuneração varia de 7,7% a 8,3%. Em junho, a variação é bem mais modesta, de 0,74% a 0,85%.Os fundos DI, maiores e mais rentáveis, também ocupam posição de destaque, com rendimento acumulado no ano entre 7,69% e 8,38%. No mês, o rendimento oscila de 0,70% a 0,75%.Entre os fundos livres maiores e mais rentáveis está o HSBC Derivativo Plus, fundo com a remuneração mais alta acumulada no ano, de 10,7%. No mês, o destaque fica com o Bradesco Asset Management Dinâmico, com 3,08%. Os cambiais estão com o pior desempenho no mês, de 0,22% a - 0,10%, mas ainda têm um resultado positivo no ano, de 2,4% a 5,8%. Veja os destaques Fundo de ação Atrium, do Banco Atrium, mais rentável e seguro da categoria, com rendimento acumulado de 55,47% até o dia 13, é voltado para empresas e tem boas perspectivas de longo prazo. A aplicação mínima é de 50 salários mínimos, atualmente R$ 7.550,00, e a taxa de administração é de 6% ao ano, com carência de 15 dias. O fundo FIF BMC Renda Fixa DI, do banco BMC, tem boa rentabilidade e um bom Índice de Sharpe - ganho com maior segurança. O rendimento de dezembro de 1999 a maio deste ano é de 9,16%. O acumulado dos últimos 12 meses está em 19,51%. E, no mês de maio, o ganho foi de 1,51%. É um título conservador, para o investidor com visão de médio prazo. A carteira é formada com 75% em títulos públicos, e 25% em privados. O objetivo da carteira é atingir 102% do CDI. A taxa de administração é de 0,50% ao ano com aplicação inicial de R$ 1 mil e movimentação mínima de R$ 500,00.Fundo de investimento Concórdia Extra, da Corretora Concórdia, pelo segundo mês consecutivo, é o líder no ranking de fundos mais rentáveis e seguros na categoria renda fixa em seis meses. No período, o rendimento foi de 9,35%. No ano, até o dia 1° de junho, o fundo Concórdia Extra acumulou valorização de 7,56%. A carteira do fundo tem título de baixa volatilidade, com ativos indexados ao CDI. Tem 80% de títulos públicos e 20% de privados. De caráter conservador, exige uma aplicação mínima de R$ 10 mil e uma movimentação de R$ 500,00. A taxa de administração é de 0,5% ao ano e a de performance não é cobrada. Sua liquidez é diária. O Linear Portfólio Balanceado, da Linear Investimentos, que acaba de fechar acordo com a Fator Administradora de Recursos para administração de seus fundos, apresentou, nos últimos seis meses, um rendimento acumulado de 16,27%, liderando o ranking de carteiras mais rentáveis e seguras em seis meses na categoria multicarteira. De perfil conservador e de longo prazo, mantém posições em todos os mercados - títulos públicos e privados, ações e dólar. Tem liquidez diária após 30 dias da aplicação e exige depósito inicial mínimo de R$ 20 mil, com movimentação mínima de R$ 5 mil. A taxa de administração é de 2% ao ano, além de taxa de performance de 15% sobre o rendimento que exceder à variação da Taxa Referencial (TR) mais 6% ao ano.Fundo Lyonnais Accelération FAQ FIF, do banco Crédit Lyonnais, sobressaiu-se entre os demais da categoria carteira livre em rentabilidade e segurança (índice de Sharpe), nos últimos seis meses. O valor da aplicação inicial e do saldo mínimo é de R$ 10 mil. A liquidez é diária e a movimentação mínima é de R$ 1 mil. A taxa de administração anual é de 1,25% e não é cobrada taxa de performance. O Fundo Bradesco Cambial, do Bradesco, teve rentabilidade de 5,53% nos últimos seis meses, o que lhe garantiu a liderança na categoria. Porém, exige aplicação inicial de no mínimo R$ 100 mil. Destinado a grandes investidores com visão de médio e longo prazo. A carteira é composta por títulos públicos federais e a taxa de administração anual é de 3%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.