Fundos de Internet não atraem investidores

Os fundos de investimento ligados a empresas de Internet e tecnologia não atraíram muitos investidores no Brasil. De acordo com Gabriel Jafet, diretor de gestão da ClickInvest, essa modalidade de aplicação foi lançada no momento errado no País, quando a Nasdaq - bolsa que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet nos Estados Unidos - começava a apresentar seus primeiros resultados negativos, nos primeiros meses desse anoApesar disso, Jafet acredita que esses fundos ainda têm possibilidade de atrair investidores e obter bons rendimentos no longo prazo. "Daqui a um ou dois anos eles devem estar melhor posicionados. Porém, até lá, o mais provável é que as oscilações na cota dessas aplicações fiquem mais freqüente", explica.Fundos captavam antes da abertura de empresas brasileiras no mercado de InternetO Brasil tem poucas empresas ligadas ao setor de tecnologia e Internet com capital aberto no mercado acionário. A maioria dos fundos relacionados a esse setor começaram a captar recursos antes que essas empresas estivessem presentes em Bolsa. Exemplo disso é o Tele@com. Criado no início desse ano, o fundo é administrado pelo ABN Amro Asset Management. A composição da carteira é formada por papéis de empresas que, de alguma forma, têm serviços na área de Internet. No acumulado do ano, o fundo apresenta uma rentabilidade de 4,80% e o seu patrimônio gira em torno de R$ 57,5 milhões. A aplicação mínima é de R$ 2 mil e a taxa de administração anual é de 2%.Alexandre Póvoa, diretor de renda variável do ABN Asset Management, explica que, com o baixo desempenho registrado pela Nasdaq no início desse ano, as empresas que estavam prestes a abrir capital adiaram seus planos. "Os fundos que já estavam abertos tiveram que continuar no mercado com a carteira formada por papéis de empresas com alguma relação com esse segmento" afirma.A ClickInvest também tem um fundo nessas condições. Trata-se do Oryx Internet, cujo patrimônio gira em torno de R$ 2 milhões. De acordo com Jafet, no acumulado do ano, o fundo apresenta uma rentabilidade de 4,94% e a aplicação mínima é de R$ 500,00.Mesmo com abertura de empresas ligadas à Internet, fundos mantêm outras companhiasNicolas Balafas, diretor do BNP Asset Management, discorda dessa estratégia de formação da carteira. Ele explica que já existem duas empresas brasileiras totalmente voltadas para o setor de Internet - Ideasnet e IP.com - e, mesmo assim, os fundos que já estão abertos permanecem com papéis de empresas com apenas alguns serviços voltados para Internet - Livraria Cultura, Livraria Saraiva e Lojas Americanas. "Os bancos que lançaram fundos ligados ao setor de Internet e tecnologia tinham por objetivo incrementar a ação de marketing e atrair investidores. Na verdade, a carteira desses fundos de ações não os caracteriza como um investimento em empresas de Internet", afirma Balafas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.