Fundos de investimento poderão aplicar no exterior

CVM regulamenta aplicação em ativos fora do País; fundo precisa ter aplicação mínima inicial de R$ 1 mi

Mônica Ciarelli, da Agência Estado,

20 de fevereiro de 2008 | 20h46

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) editou nesta quarta-feira, 20, a instrução nº 465, que permite que fundos de investimento de qualquer classe possam aplicar recursos em ativos financeiros no exterior. As novas regras complementam a instrução 450 sobre fundos de investimentos, lançada no início do ano passado. Para ter permissão de aplicar no exterior, o fundo precisa ser destinado apenas a investidores qualificados e ter aplicação mínima inicial de R$ 1 milhão. Apesar da regulamentação, o gerente de Acompanhamento de Investidores Institucionais da CVM, Luís Felipe Lobianco, não espera um aumento significativo dessas aplicações, que já podiam ser feitas desde o lançamento da instrução sobre fundos. "Estamos preparando o arcabouço para o futuro. Nenhuma porteira está se abrindo", explicou. Segundo ele, a participação desses fundos no volume total da indústria ainda é pequena porque os juros no Brasil continuam elevados. Por conta disso, o País é um dos principais destinos de investimentos do mundo. As novas regras estabelecem ainda uma mudança no método para cálculo do valor da cota diária dos fundos de investimento. Agora, os ativos de renda variável, como ações, passarão a ser marcados pela cotação de fechamento e não mais pelo preço médio, como vinha sendo feito.

Tudo o que sabemos sobre:
Fundos de InvestimentoCVM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.