Fundos de pensão: 6 meses para cobrir déficit

O Conselho de Gestão da Previdência Complementar aprovou ontem resolução que obriga os participantes dos fundos de pensão a contribuir para a cobertura do déficit atuarial das suas entidades. Até agora, eram as entidades patrocinadoras dos fundos de pensão que vinham cobrindo o rombo integral do déficit atuarial. O Ministério da Previdência não concordou com este procedimento e estabeleceu que os participantes terão que contribuir na mesma proporção dos patrocinadores. A secretária de Previdência Complementar, Solange Paiva Vieira, já havia dito na segunda-feira que 40 fundos de pensão se encontravam nessa situação, patrocinados por empresas estatais. Agora, com a mudança aprovada pelo Conselho de Gestão da Previdência Complementar, esses fundos terão prazo de seis meses para se ajustar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.