Fundos de Pensão: Feniprev sofre intervenção

O ministro da Previdência Social, Waldeck Ornélas, decretou hoje a intervenção no fundo de pensão Feniprev - Fundo Múltiplo de Previdência. O principal motivo para a intervenção, que tem prazo de 120 dias, foi o pedido de retirada do patrocínio do fundo, feito pelas empresas patrocinadoras que são os grupos Fenícia e Mercadorama. Segundo a Secretaria de Previdência Complementar, o Feniprev também apresentava problemas de desenquadramento. Pelas normas do Conselho Monetário Nacional (CMN), o fundo de pensão deveria ter, no máximo, 80% dos seus ativos aplicados em renda fixa. O Feniprev estava com 100%. Além disso, quase a totalidade da aplicação (97,53%) era feita no banco Bradesco. O CMN estipula em 20% o limite de aplicação em uma única instituição financeira. De acordo com o Ministério da Previdência Social, o pedido de retirada dos patrocinadores está sob análise da Secretaria de Previdência Complementar. Se for aceito, inviabilizará o funcionamento da entidade. O Feniprev tem sede na cidade de São Paulo. O fundo possui 26.513 participantes entre ativos, pensionistas e dependentes e um patrimônio de R$ 38,8 milhões. O interventor nomeado pelo ministro Waldeck Ornélas é o administrador de empresas Toshihiko Ivamoto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.