Fundos de pensão podem bancar até 40% da obra

Os fundos de pensão Petros e Funcef estão dispostos a financiar até 40% da construção da usina Santo Antônio, no Rio Madeira, arrematada ontem em leilão pelo consórcio Odebrecht/Furnas. O presidente da Funcef, Guilherme Lacerda, revela que as fundações haviam sido procuradas por vários consórcios antes do leilão, entre eles o da Odebrecht. O edital de venda ainda permite a entrada de um sócio."O investimento já foi aprovado pela diretoria", disse. "Se eles voltarem a nos procurar, temos interesse." A idéia seria cada fundação financiar de 10% a 20% do empreendimento. Ele admitiu que a fundação pretende, ainda, entrar na disputa pela outra usina no Rio Madeira, a de Jirau. O leilão deve ocorrer no início de maio de 2008. "O setor de energia é um bom investimento para fundos de pensão, que buscam o longo prazo." Para ele, a participação na usina de Santo Antônio depende apenas de uma avaliação final do empreendimento. "O negócio tem excelente padrão de governança corporativa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.