Fundos de pensão têm déficit de R$ 3,9 bi

O Ministério da Previdência Social detectou um déficit de R$ 3,9 bilhões nas contas dos fundos de pensão (entidades fechadas de previdência complementar) em 2001. Essa informação consta da análise dos fundos de pensão, que acaba de ser divulgada pelo ministro da Previdência e Assistência Social, José Cechin. Segundo o ministro, cerca de 40 fundos, de um total de 355 que enviaram dados para análise da Secretaria de Previdência Complementar, estão com insuficiência de recursos para honrar a cobertura total das aposentadorias já concedidas e a conceder. O principal motivo de déficit, segundo a análise, foi a queda das bolsas de valores no ano passado. Um terço do patrimônio dos fundos está investido em ações nas bolsas. Também contribuiu para o déficit a exigência de que os fundos passassem a contar, já em 2001, com reservas suficientes para honrar 100% da cobertura dos benefícios a conceder no futuro. Até a Lei Complementar de maio de 2001, essa exigência era de 70%. A n ova regra exigiu dos fundos, em 2001, um aumento de R$ 21 bilhões nos seus ativos para atender a legislação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.