Fundos de varejo e alta renda perdem 16% no ano

Apenas em setembro, período em que a crise financeira se agravou, fundos tiveram resgate de R$ 11,2 bi

Rita Tavares, da Agência Estado,

14 de outubro de 2008 | 19h39

Os fundos de investimento populares (varejo) e voltados para os clientes de alta renda sofreram resgates de R$ 62,8 bilhões neste ano, até o último dia 10, de acordo com pesquisa do site Fortuna. Trata-se de uma perda de 16% em relação ao patrimônio líquido desses dois segmentos que era de R$ 385 bilhões em 31 de dezembro de 2007 - correspondente a um quarto do patrimônio líquido de R$ 1,2 trilhão do total de fundos de investimentos. Veja também:Em meio à crise, empresas têm que pagar US$ 15 bi ao exteriorConsultor responde a dúvidas sobre crise  Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitosEspecialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise  Apenas no mês de janeiro, os fundos populares e de alta renda registraram captação, com depósitos de R$ 3,2 bilhões. Em todos os meses seguintes, os saques superaram os depósitos nos fundos de curto prazo, DI, renda fixa, multimercado e de ações. Setembro foi o pior mês, com resgates de R$ 11,2 bilhões. Mas, nos primeiros dias de outubro (até o dia 10), houve saques de R$ 9 bilhões, o que equivalente a 80% do total resgatado ao longo de setembro - um indicativo de um provável recorde neste mês. Antes, o pior resultado ocorreu em julho, com saída de R$ 10,7 bilhões. Os resgates dos fundos populares e de clientes de alta renda são muito superiores se comparados aos resgates do total dos fundos de investimento. Neste ano até o último dia 10, os saques foram de R$ 21 bilhões de um patrimônio líquido de R$ 1,2 trilhão no final de 2007. A captação positiva dos fundos de poder público (R$ 22,8 bilhões), os fundos em direitos creditórios (R$ 11,1 bilhões) e os fundos de previdência (R$ 9,2 bilhões) contribuiu para o resultado. Entre o total dos fundos de investimento, os campeões em saques em 2008 (até o último dia 10) foram os fundos multimercado que perderam R$ 35 bilhões. Em seguida, vieram os fundos de renda fixa que perderam R$ 25 bilhões. Já os fundos DI (R$ 4 bilhões), de ações (R$ 4 bilhões) e de curto prazo (R$ 1 bilhão) captaram. De acordo com o relatório, os recursos resgatados tanto do segmento popular como de alta renda têm sido direcionados, em parte, para a poupança. A caderneta teve captação positiva de R$ 6,4 bilhões até agosto, de acordo com o Banco Central. Parte dos recursos foi aplicada em CDBs e em operações compromissadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.