Fundos IGP-M: efeitos da marcação a mercado

Como os fundos IGP-M são formados por papéis de prazo mais longo, eles sofrem com mais intensidade as oscilações resultantes da marcação a mercado - precificação diária dos títulos que compõem as carteiras. Regra geral, títulos com vencimento mais distante pagam juros mais elevados. Esse é o prêmio pelo risco que embutem. Ao serem cotados a valor de mercado diariamente, esses títulos podem ter seu preço reduzido ou elevado de forma significativa, dependo das condições do mercado financeiro.A diretora do Instituto Brasileiro de Certificação de Planejadores Financeiros, Márcia Dessen, explica que os papéis indexados a um índice de inflação pagam uma taxa de juros (cupom) mais a variação do índice de inflação. Para explicar os efeitos da marcação a mercado nos fundos IGP-M, ela cita um exemplo: se o gestor comprou o papel com um cupom de 5% e, nas semanas seguintes, esse cupom sobe para 10%, ao ser precificado a valor de mercado, o título perde valor. "O cupom pode ser entendido como um desconto. Ou seja, se ele sobe, o detentor do título receberá um valor menor se precisar negociá-lo no mercado. Da mesma forma, se ele diminui, o preço desse papel aumenta. Em títulos de prazo mais longo, essa diferença entre o cupom negociado no título e o cupom negociado diariamente nos mercados tende a ser maior, ampliando ou reduzindo de forma significativa o valor presente dos papéis", explica a diretora. Vale destacar que os investidores que permanecem com os recursos em carteira até o vencimento do papel receberão o cupom prometido. Dessa forma, segundo esclarece Márcia Dessen, todas as perdas acumuladas até o vencimento tendem a ser recuperadas. "É nesse sentido que recomendo esses fundos apenas para quem tem horizonte de investimento longo, pois, quem efetuar saques no curto e médio prazo corre o risco de sair da carteira com uma cota desvalorizada", diz a diretora.Veja nos links abaixo os riscos dos fundos IGP-M para investidores que sacam seus recursos no curto prazo e as formas de aplicação indexadas ao índice.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.