Fundos imobiliários: opção para investir no setor

Os fundos imobiliários são uma alternativa para quem quer investir no setor e não quer correr o risco e nem ter o trabalho de administrar um imóvel. O investidor compra uma cota do fundo, normalmente durante a construção do imóvel, e depois recebe um rendimento, de acordo com a renda obtida com a locação.Assim como na compra efetiva de um imóvel, o risco de um fundo imobiliário é o baixo nível de locação de alguns empreendimentos. Os fundos imobiliários costumam ser compostos por mais de um imóvel, o que dilui este risco. Mas, qualquer unidade que não seja alugada reduz o rendimento do investidor. Se a renda com aluguel for muito baixa, o investidor pode até ter de cobrir as despesas com administração dos bens.Outro problema do fundo imobiliário é a falta de liquidez das suas cotas. O administrador, que é uma instituição financeira, não tem o compromisso de garantir a recompra das cotas. Dessa forma, quem quiser sair do investimento terá de vender a sua cota no mercado secundário, onde a liquidez ainda é restrita. Para amenizar esse problema, alguns fundos formam um pool, ou um grupo, entre os investidores, para garantir a compra das cotas de quem quiser sair. Mas, ainda assim, não é garantido que se receba todo o dinheiro investido, dado que o preço da cota pode cair ou o grupo pode não ter dinheiro suficiente para a recompra pelo valor de compra.Carteira pode ser diversificadaOs fundos imobiliários, que existem desde 1993, tiveram um crescimento muito grande no ano passado. De acordo com a Brazilian Mortgages, companhia que atua no mercado imobiliário, o total de ofertas subiu de R$ 169, 46 milhões, em 2000, para R$ 511,72 milhões, em 2001, um crescimento de 201,97%.Os fundos imobiliários podem investir em vários tipos de imóveis: flats, hotéis, shoppings, resorts, prédios comerciais e hospitais. Também podem investir em dois ou mais tipos de imóveis. O investidor tem duas formas de adquirir cotas de um fundo: comprar diretamente com a administradora, normalmente quando o imóvel está sendo construído; ou no mercado secundário.De acordo com o diretor da Cushman & Wakefield, Paul Weeks, não é possível dizer com certeza que tipo de investimento é melhor, entre flats, hotéis e shoppings, por exemplo. Paul Weeks alerta ainda que o mercado imobiliário muda muito de um ano para o outro, alterando as expectativas de rendimento. Comprar cotas de um imóvel já construído, que esteja alugado, é uma alternativa para garantir rendimentos imediatos, porém estas cotas de empreendimentos bem-sucedidos custam mais caro. Um atrativo de alguns fundos imobiliários é que a administradora garante uma rentabilidade mínima durante um período.Fundos imobiliários são investimento de longo prazoO investidor deve lembrar que fundos imobiliários são um tipo de investimento de longo prazo. Como sua rentabilidade é baixa, ganhos efetivos somente são possíveis após anos, com exceção de algum empreendimento que tenha uma valorização elevada fora do padrão. O investidor também deve evitar colocar toda a sua poupança num único tipo de investimento. A diversificação das aplicações é fundamental para reduzir os riscos. Segundo os especialistas, o investidor deve diversificar mesmo as suas aplicações em fundos imobiliários, comprando cotas de mais de um empreendimento. Veja abaixo link para a Cartilha de Imóveis, que dá mais dicas sobre o investimento no setor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.