Fundos pagam Imposto de Renda

Nos fundos de investimento, a tributação básica é o Imposto de Renda. A legislação atual diz que um fundo é de renda fixa quando contém até 49% em ações. Para as carteiras com perfil de renda fixa, a incidência do IR é de 20% sobre o rendimento. Também estão nesta alíquota os fundos de investimento no exterior (Fiex), os derivativos e os multiportfólios. Na renda variável, os fundos de ações são a principal aplicação. A título de classificação, são considerados fundos de ações as carteiras que tenham no máximo 49% do patrimônio em títulos de renda fixa. Porém, a regra de tributação é mais rigorosa. Somente pagam IR de 10% sobre os ganhos de capital os fundos de ações que tiverem no mínimo 2/3 de seus ativos em ações. Um fundo de ação que tenha menos que isso acaba pagando IR de 20%, como os de renda fixa. Além do IR, as aplicações em renda fixa por prazo até 29 dias pagam Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), maior quanto menor o prazo da aplicação. Dependendo do número de dias que deixa seu dinheiro aplicado e das taxas de juros, o investidor pode sair com menos recursos que os aplicados, por conta do IR, do IOF e da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), paga na transferência do dinheiro da conta corrente para o fundo.Nos links abaixo o investidor pode encontrar mais dicas sobre os impostos pagos ao aplicar em fundos de investimentos.

Agencia Estado,

09 de novembro de 2001 | 21h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.