Fundos Petrobras em queda

Durante a semana passada foi registrada uma ligeira diminuição no rendimento acumulado pelos fundos de ações da Petrobras, ocasionada pela desvalorização de 6,93% da ação. As causas principais para o recuo do preço do papel são a prolongada indefinição sobre o preço do petróleo no mercado internacional e o clima apreensivo da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Segundo dados da Associação Nacional de Bancos de Investimento (Anbid), os fundos com recursos do FGTS rendiam até quinta-feira, em média, 59,84%, enquanto os fundos com recursos próprios rendiam 61,17%.A prolongada alta do petróleo já faz analistas considerarem a possibilidade de que o investidor que aplicou o FGTS opte por transferir seu capital para outra aplicação em fevereiro, quando os fundos completarão seis meses de atividade e será possível fazer tal escolha tendo ainda um desconto de 10% na compra das ações, metade do que será dado a quem mantiver a aplicação por 12 meses. A rentabilidade acumulada considera o desconto total de 20%.Para a analista de petróleo do BBVA Banco, Catarina Pedrosa, se o petróleo ainda estiver alto em fevereiro, mas com uma tendência de baixa, o investidor poderá ganhar mais transferindo o valor para outra aplicação. Mesmo com a oscilação verificada, a projeção do BBVA indica que o fundo ainda pode render até 23%. Portanto, deve-se esperar e observar o mercado em fevereiro, quando o investidor poderá fazer a opção. Vale lembrar que se optar pela mudança, o investidor perde o desconto de 20% concedido pelo governo no ato da aplicação no fundo.

Agencia Estado,

23 de outubro de 2000 | 16h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.