Fundos podem estar com valores incorretos

A investigação feita pelo Banco Central (BC) em 50 fundos DI abertos para clientes qualificados e institucionais pode indicar possíveis imperfeições no valor das cotas e do patrimônio de carteiras dirigidas também a investidores de varejo. Segundo Fábio Colombo, diretor-presidente da Money Maker Investment Advisory, a distorção da marcação a mercado - nome dado à precificação das cotas - é comum em diversos produtos desse tipo. Ademais, a diretora de Fiscalização do BC, Tereza Grossi, afirmou na semana passada que os 50 fundos investigados são apenas os mais preocupantes.O problema consiste no fato de que, no período em que o dólar estava cotado a cerca de R$ 2,80, muitos gestores de fundos compraram parte da enxurrada de títulos com variação cambial (NTNs) que o governo injetou no mercado. Como são fundos DI, os gestores usaram esses títulos para comprar contratos de juros que seguem o CDI (índice de referência desses fundos) para manterem seu indexador. As oscilações dos títulos cambiais, no entanto, foram tremendas e declinantes e os gestores deixaram de corrigir corretamente a perda no preço das cotas para não demonstrarem que tiveram prejuízo aos investidores. Com isso, as cotas podem ter ficado mais caras do que realmente valem.Assim, o investidor estaria tendo um rendimento menor do que o apresentado e, se houver uma corrida de saques aos fundos, os primeiros receberão o valor que as cotas indicam, mas os seguintes sacarão menos do que deveriam. Nesses casos, quanto maior a exposição a operações com títulos cambias, mais imprecisa poderá ser a precificação.Outro fator que pode vir a distorcer essa marcação a mercado é a falta de liquidez dos papéis que compõem os fundos, pois a eles cada gestor define um valor que acredita ser justo, que pode ser diferente do seu preço real. Por isso, o consultor explica que o problema investigado pelo BC pode ocorrer em qualquer tipo de fundo com papéis de baixa liquidez na carteira, inclusive aqueles que investem em ações.Caso o BC verifique o erro na marcação a mercado, os fundos poderão sofrer alterações bruscas na rentabilidade para se adequarem ao valor correto. Colombo fala em uma diferença de até 10% no valor das cotas, baseado nos discursos de Tereza Grossi.Proteja-se Para saber se o seu fundo DI pode estar marcando a mercado incorretamente, o diretor-presidente da Money Maker comenta que o aplicador pode pedir a composição da carteira de investimentos do fundo ao gestor, que é obrigado a apresentá-la. "Se a carteira mostrar uma parcela maior do que 30% alocada em NTNs, será um indício de que pode haver erro na precificação das cotas."Porém, ao verificar a possibilidade de distorção, Colombo diz que é preciso avaliar custos, como a CPMF, antes de resolver migrar para outra aplicação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.