Fundos prefixados lideram captação de recursos em setembro

De acordo com dados da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid), os fundos de investimento apresentaram captação líquida positiva de R$ 4,593 bilhões no mês de setembro. As carteiras de renda fixa registraram o maior volume captado junto aos investidores no período. O total foi de R$ 4,332bilhões. Deste volume, R$ 3,026 bilhões foram direcionados para as carteiras com taxas prefixadas, o que sinaliza que os investidores acreditam na tendência de queda das taxas de juros. Os fundos mistos também apresentaram forte captação de recursos. A Anbid aponta entrada líquida de R$ 2,770 bilhões, sendo R$ 1,886 bilhão captado pelas carteiras multimercado com renda variável e alavancagem - estratégia na qual o investidor pretende aumentar as possibilidades de rendimento através de empréstimos ou operações do mercado de derivativos.Em condição oposta, os fundos referenciados DI, cujas cotas refletem o comportamento das taxas de juros pós-fixadas, apresentaram saída de recursos. O total foi de R$ 2,299 bilhões. Os fundos cambiais ? formados por títulos que pagam uma taxa de juro (cupom cambial) mais a variação do dólar ? também registraram saída de recursos. Neste caso, a saída é de R$ 903,62 milhões.Rentabilidade Os fundos de ações lideram o ranking de rentabilidade em setembro. As carteiras setoriais apresentaram os ganhos mais elevados, de 7,85% e 7,00%, respectivamente. Os fundos Ibovespa indexados ? que acompanham o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) ? fecharam com rendimento nominal de 5,93%.Os fundos referenciados DI fecharam o mês com ganho nominal de 1,72% e as carteiras prefixadas acumularam no período desempenho positivo de 1,73%. Já os fundos cambiais encerraram o mês com perda de 2,25%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.