coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Fundos: sites de bancos não alertaram sobre riscos

Com a nova marcação a mercado dos fundos de investimento, muitos cotistas que se sentiam protegidos aplicando seus recursos nos fundos de renda fixa se surpreenderam com as perdas apuradas nos últimos dias. Tanto os fundos DI (pós-fixados) quanto os de renda fixa (prefixados) são tidos como os mais seguros do mercado, mas não estão isentos de ter rentabilidade negativa. É essa informação que a maior parte dos bancos não dá a seu investidores.A mudança que houve é que agora os títulos que compõem a carteira dos fundos serão marcados diariamente pelo valor que o título vale no dia, e não pelo valor acertado na data da compra do papel. Ou seja, o investidor poderá apurar perdas diárias caso os títulos percam valor de mercado até a data de vencimento dos papéis. No entanto, no vencimento o ganho é aquele acertado no início do investimento.Nenhum banco atualizou seus sites com essas informações até o dia 7 de junho, uma semana após a mudança. Com isso, o investidor pode ser levado a erro na hora de comprar uma cota de algum fundo. Em todos eles as informações dadas, principalmente sobre os fundos DI, são de que esses papéis só podem ter sua rentabilidade apurada no final do contrato, já que esses títulos são pós-fixados. O Banco Real, por exemplo, informa que só haverá perdas se houver mudanças na política de juros do País, o que valia apenas antes da nova marcação.Também poucas instituições financeiras informam sobre os riscos de haver rentabilidade negativa em fundos de renda fixa, o que ocorreu em alguns momentos nas últimas semanas. A maior parte dos sites de bancos apenas informa que papéis que pagam juros, tanto pré quanto pós-pagos, são investimentos mais conservadores, ou seja, com risco menor.Como os bancos oferecem em seus sites a possibilidade de ingressar nesses fundos, eles deveriam também informar seus investidores sobre quais são os riscos do investimento.As únicas informações que todos os bancos pesquisados trazem é a de que fundos de renda fixa são um investimento de baixo risco. Alguns, como o Banco do Brasil, nem isso: limitam-se a analisar cada carteira de acordo com o perfil do investidor, de conservador a arrojado.Veja na tabela abaixo quais as informações que os bancos trazem sobre a marcação a mercado dos fundos DI e de renda fixa e sobre os riscos de rentabilidade negativa dos mesmos.UnibancoUnibancoÉ um dos poucos que oferecem a informação sobre rentabilidade negativa. Quando o internauta entra na sessão dos fundos de investimento, um dos ícones apresenta perguntas e respostas sobre o tema e explica que eles podem, sim, trazer perdas. Não traz informações sobre a marcação a mercado.Banco RealTraz o alerta de rentabilidade negativa em suas explicações sobre como funcionam os fundos. Não há informações sobre marcação a mercado.HSBCOferece poucas informações a quem pretende investir. É informado qual o grau de risco de cada fundo, e os de renda fixa e DI apresentam os menores. Portanto, o investidor pode ser levado a julgar que é difícil perder dinheiro com esse tipo de investimento. O site do banco também informa que é necessária uma avaliação da performance do fundo nos últimos 12 meses para fazer a opção. Também informa que rentabilidade anterior não garante rentabilidade no futuro e que não há garantias do administrador do fundo. Não cita as mudanças na marcação.BanespaHá poucas informações sobre os riscos de investir-se em fundos no site. Sobre os fundos de renda fixa é dito que há possibilidade de rentabilidade negativa. Sobre os fundos DI, apenas afirma que é um bom investimento quando a tendência dos juros é de alta. Não informa sobre a marcação a mercado.Banco do BrasilApenas informa que fundos que buscam retorno com papéis que pagam juros, tanto pós quanto prefixados, são para investidores com um perfil conservador ou muito conservador, nada falando sobre riscos ou sobre a nova marcação a mercado.BradescoNada diz sobre os riscos do investimento em fundos de renda fixa. A instituição afirma inclusive que, devido à segurança desse investimento, esses papéis devem representar uma parcela expressiva em qualquer tipo de estratégia de investimento, seja curto, médio ou longo o prazo. Não informa o investidor sobre a marcação a mercado.BankBostonOferece uma análise sobre cada carteira de investimento em papéis que pagam juros, mas essas informações, até a sexta-feira passada, também estavam defasadas. Os relatórios a respeito de fundos DI e de renda fixa apresentam, como nos outros casos, esses fundos como de baixo risco e para investidores menos agressivos. O site traz uma mensagem avisando que o banco não se responsabiliza pelo uso que possa ser feito com as informações nele contidas, e avisa o investidor sobre a importância de se analisar a rentabilidade de uma carteira durante os últimos 12 meses. Mas, como os fundos DI e de renda fixa só apresentaram queda a partir do final de maio, quem for comprar uma cota pode ser enganado por esses números.ItaúInforma que os fundos pós-fixados não apresentam risco de oscilações de taxas de juros, pois as acompanham. Já os de renda fixa, de acordo com o site, oferecem esse risco. Há uma página em seu site que explica que fundos de renda fixa possuem rentabilidade mais estável do que os de renda variável.Leia nos links abaixo matérias com dicas de investimentos e sobre a marcação a mercado e seus efeitos nos fundos de investimento.

Agencia Estado,

13 de junho de 2002 | 17h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.