Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Fundos têm resgates de R$ 2,093 bi na 1ª semana de novembro

Carteiras que registram maiores saídas de recursos são aquelas ligadas ao poder público, segundo os dados

Ana Paula Ribeiro, da Agência Estado,

12 de novembro de 2008 | 15h43

A saída de recursos dos fundos de investimentos supera o volume de aportes do setor no começo desse mês. Na semana encerrada no dia 7, a captação líquida ficou negativa em R$ 2,093 bilhões em trajetória similar a verificada nos meses anteriores, segundo dados do site Fortuna. Veja também:De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise Entenda a disparada do dólar e seus efeitos As carteiras que registram as maiores saídas de recursos são as do poder público, aquelas em que podem ser cotistas apenas entidades ligadas a um dos três níveis de governo. Os saques superam os investimentos em R$ 1,634 bilhão. Esse segmento acumula patrimônio líquido de R$ 119,355 bilhões.  Os fundos de renda fixa acumularam na última semana saídas de recursos de R$ 1,177 bilhão e os referenciados ao DI, de R$ 590,886 milhões. Essas duas categorias acumulam recursos de, respectivamente, R$ 248,930 bilhões e R$ 183,340 bilhões, o que as coloca nas primeira e segunda colocações entre as carteiras com maiores patrimônios. O total da indústria é de R$ 1,177 trilhão. A avaliação desconsidera os fundos de investimentos em cotas (FACs). Do outro lado, os fundos de previdência de renda fixa acumulam os maiores aportes de recursos, R$ 912 milhões na semana passada. Já os fundos de direitos creditórios apresentaram captação líquida positiva de R$ 881,235 milhões. Em relação à rentabilidade, e ainda desconsiderando os FACs, os fundos offshore apresentaram o melhor desempenho entre os dias 31 de outubro e 7 de novembro. Os de renda mista tiveram variação positiva de 2,21% e os de renda fixa, 2,17%. Os fundos de investimentos no exterior acumulam ganhos de 1,73% no mês. Na média, a indústria apresentou uma rentabilidade positiva de 0,32% na última semana. Os piores desempenhos da semana foram apresentados pelas carteiras ligadas aos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os fundos da Vale registraram perdas de 6,05% e os da Petrobras, 1,39%. Já os fundos de ações tiveram rentabilidade negativa de 0,86%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.