Fundos terão mais tempo para seguir novas regras

O Banco Central (BC) reeditou ontem a Circular 3.086 que determina as regras para que os fundos de gestão precifiquem diariamente os papéis que compõem as carteiras dos fundos de investimento. Segundo apurou o repórter Gustavo Freire, o novo texto da norma estabelece como 30 de junho a data limite para que as instituições se enquadrem às novas regras. Pelo primeiro texto da Circular, os gestores deveriam atender imediatamente as novas regras. O diretor de Normas do BC, Sérgio Darcy, afirmou que a Circular é uma consolidação de regras anteriores, esclarecendo alguns pontos que geravam dúvidas em relação aos fundos. A atualização diária dos títulos com base no preço de negociação no mercado é uma exigência do BC para evitar prejuízos a cotistas que deixem seus recursos aplicados por mais tempo nos fundos de investimento, sujeitos, portanto, aos riscos de oscilação do preço dos papéis.Isso acontece porque os títulos que compõem a carteira dos fundos têm um rendimento a ser pago no vencimento do título. Se o gestor precisar vender o papel antes disso terá que negociá-lo a uma taxa de juros compatível com os níveis praticados no mercado. Quando o gestor atualiza diariamente o valor destes papéis há uma oscilação do valor da cota. Se a taxa de juros sobe, por exemplo, o valor de um título fica menor e isso se reflete no valor da cota, diminuindo-a. Caso o gestor não faça esta atualização, o que é chamado de marcação a valor de mercado, o preço dos papéis ficará sobrevalorizado. O investidor que saca seus recursos antes desta marcação acaba recebendo mais. Aquele que permanece no fundo terá que arcar com prejuízo. Veja mais informações sobre a fiscalização do BC nestes casos nos links abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.