Fungos e chuvas reduzem safra recorde de soja

A safra de soja de Mato Grosso, principal Estado produtor do grão no Brasil, terá uma perda em torno de 15% da colheita prevista inicialmente, em torno de 12,5 milhões de toneladas. O excesso de chuvas na segunda quinzena de março e a infestação por fungos, doença conhecida como ferrugem asiática, são os fatores de prejuízo.O engenheiro agrônomo José Tadashi Yorinori, pesquisador da Embrapa Soja, diz que a ferrugem está presente em 100% das áreas de lavoura de Mato Grosso e só ela responderá por uma perda em torno de 1,8 milhão de toneladas este ano. Tadashi diz que não há registro de volume tão grande e constante de chuvas no bimestre março/abril sobre Mato Grosso, onde algumas lavouras ficaram prontas para colheita há 30 dias e estão apodrecendo no campo.A perda de 2 milhões de toneladas em Mato Grosso, somada a prejuízos menores em outras regiões do País, frustra a expectativa de produção igual ou superior a 50 milhões de toneladas este ano. Mesmo assim, uma colheita entre 47 milhões e 48 milhões de toneladas ainda configura recorde na produção brasileira de soja.Além do prejuízo dos produtores, a perda pode se refletir na balança comercial, uma vez que as projeções de receita cambial do complexo soja se aproximavam de US$ 8 bilhões em 2003, considerando a produção de 50 milhões de toneladas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.