Fup se reúne dia 25 para decidir greve de agosto

A Federação Única dosPetroleiros (Fup) marcou para o dia 25 de julho a reunião quedecidirá como será a greve nacional com parada de produção apartir do dia 5 de agosto nas unidades da Petrobras . Nesta sexta-feira, quinto e último dia da greve dospetroleiros da bacia de Campos, a categoria se reúne paraavaliar o movimento promovido pelo Sindicato dos Petroleiros doNorte Fluminense, filiado à Fup. A greve conseguiu reduzir a produção da Petrobras noprimeiro dia em 136 mil barris, mas no mesmo dia a produção foinormalizada por uma equipe de contingência da estatal. "Vamos sentar hoje e ver onde houve falhas e onde houveacertos, para quando a gente entrar com a greve maior não terproblemas", disse à Reuters José Genivaldo Silva, diretor daFup. Ele explicou que uma série de assembléias dos sindicatosregionais serão realizadas a partir do próximo sábado e nessasassembléias a tendência é pela aprovação da greve. Ospetroleiros querem maior participação no lucro da companhia erejeitaram proposta apresentada no dia 9 de julho. A Petrobras oferece até 12,5 por cento, alegando que oíndice "obedece ao limite máximo determinado pelos órgãos decontrole", e os empregados querem no mínimo 18 por cento. "No dia 25 vamos decidir o tamanho e a forma da greve eacertar todos os ponteiros para o movimento dar certo",afirmou. Segundo Silva, mesmo com o plano de contingência daPetrobras, a produção será reduzida se a greve for por tempoindeterminado, já que a idéia é atingir também as refinarias eterminais da estatal, e outras plataformas além da bacia deCampos, região produtora de 80 por cento do petróleo nacional. "Se a greve for por tempo indeterminado, a própria empresaterá que reduzir a carga processada nas refinarias para evitaro risco de trabalhar com pouca gente no lugar de uma equipeinteira, como ela fez agora nessa parada de cinco dias",explicou. (Reportagem de Denise Luna)

REUTERS

18 de julho de 2008 | 10h39

Mais conteúdo sobre:
ENERGIAPETROLEIROS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.