Furacão interrompe 25% da produção do petróleo no Golfo do México

Pelo menos 25% da produção de petróleo e 10% da produção de gás do Golfo do México deverá ser interrompida por causa da passagem do furação Ivan pela região, segundo os anúncios de fechamentos de unidades feitos até agora pelas maiores companhias de petróleo que atuam na costa norte-americana. A BP PLC fechou algumas de suas unidades de produção de gás e petróleo no Golfo do México, informou esta manhã o porta-voz Hugh Depland. A empresa produz cerca de 500 mil barris de petróleo por dia na região. Além da BP, a Royal Dutch Shell e a Chevron Texaco também anunciaram o fechamento de suas unidades na região. A Shell Oil, da Royal Dutch Shell, deu início ao processo ontem e informou nesta terça-feira que outras unidades de produção de gás natural e petróleo serão fechadas. O processo deve ser concluído amanhã. A Shell estima que um volume de 444,800 mil barris de petróleo e 1,35 bilhão de pés cúbicos de gás deixarão de ser produzidos ao dia em conseqüência do furacão. O porta-voz Matt Carmichael, da Chevron, afirmou que a empresa está retirando todos os seus funcionários da região central e oeste do Golfo do México. Segundo ele, a refinaria de Pascogoula, no Missouri, será fechada e a produção de 325 mil barris ao dia interrompida. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.