Furacão pode afetar produção do petróleo, preços sobem

Os contratos futuros do petróleo tipo cru operam sustentados por temores de eventual interrupção nas operações de plataformas de petróleo na costa norte-americana do Golfo do México, por causa do furacão Ivan. Ao mesmo tempo, o mercado está na expectativa da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) na quarta-feira. Às 9h42 (horário de Brasília), o contrato do petróleo cru subia US$ 0,70 (1,64%) no pregão eletrônico da bolsa norte-americana Nymex, para US$ 43,51 o barril. O petróleo tipo brent avançava US$ 0,46 (1,14%) para US$ 40,66 o barril. Na sexta-feira, os contratos cederam com investidores apostando que o furacão não afetaria as operações das refinarias na costa dos EUA. No entanto, ontem a Shell suspendeu sua produção de petróleo e gás na região. O furacão aproxima-se de Cuba, já tendo passado pelas Ilhas Cayman e pela Jamaica. Opep se reúne na quarta Excluindo informações relacionadas ao furacão, os investidores devem ficar em compasso de espera até quarta-feira, dia da reunião da Opep. O consenso é que o grupo mantenha o atual teto de produção, de 26 milhões de barris ao dia. O mercado acredita também que a Opep deve decidir pela elevação das margens da banda de preço da cesta dos sete tipos do petróleo do cartel. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.