Furlan acredita que câmbio ainda não afeta exportações

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, afirmou hoje que a taxa de câmbio atual "ainda não afetou as exportações". "Nós vamos ver em maio exportações fortes e mais um recorde", afirmou o ministro, após participar de seminário na Confederação Nacional do Comércio (CNC). Segundo Furlan, no último domingo, as exportações somaram US$ 105 bilhões no acumulado dos últimos 12 meses. O ministro ainda destacou o fato de a média diária das vendas externas estar acima de US$ 400 milhões, valor bem superior ao registrado no ano passado. Furlan admitiu que alguns setores já estão perdendo competitividade em função da valorização do real frente ao dólar. "Há setores que estão perdendo espaço e há setores que continuam crescendo, como a siderurgia. Alguns segmentos da agricultura estão com preços elevados, como os de açúcar, suco de laranja e até café", afirmou o ministro. Ao ser questionado sobre quais setores estariam perdendo espaço, Furlan disse que são aqueles com mão-de-obra intensiva.

Agencia Estado,

17 Maio 2005 | 13h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.