Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Furlan chega a Moscou para ampliar relações comerciais

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, chegou hoje à Moscou acompanhado por 54 representantes dos setores empresarial e de entidades de classe, com o desafio de, em dois anos, triplicar a corrente comercial entre os dois países, que atualmente é de US$ 1,7 bilhões. O governo quer chegar a US$ 5 bilhões.De acordo com Furlan, o principal objetivo da missão é diversificar a pauta nas relações comerciais. Em entrevista à Agência Brasil, o ministro lembrou que 80% das exportações para a Rússia são de carnes e açúcar e 80% das importações são de fertilizantes e níquel. Durante sua estada em Moscou, o ministro terá encontros com representantes do governo na tentativa de rever o sistema de quotas implantado pela Rússia para a importação de carne de aves este ano. A base de cálculo utilizada levou em consideração as transações ocorridas no ano de 1999 e não o de 2002, quando houve maior crescimento nas vendas brasileiras. "Este é um tema que vem incomodando os nossos exportadores porque o Brasil foi claramente prejudicado pelo sistema adotado pela Rússia", comentou o ministro. Amanhã acontecerá o Seminário Internacional em que especialistas falarão sobre a conjuntura econômica da Rússia, país que vem registrando crescimento médio de 5% ao ano. Terça-feira, cerca de 200 empresários brasileiros e russos sentarão à mesa para uma rodada de negócios. As negociações incluem áreas que vão de alimentos e agrobusiness à equipamento hospitalar e farmoquímicos. Estão previstas também, durante a estada dos brasileiros em Moscou, visitas técnicas, por setor, aos distribuidores, atacadistas e centros comerciais. As informações são da Agência Brasil.

Agencia Estado,

18 de maio de 2003 | 18h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.