Furlan destaca que crescimento das exportações não é bolha

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, garantiu que o crescimento acentuado das exportações brasileiras não é uma bolha. Segundo ele, as vendas externas são consistentes, mostram agregação de valor, conquista de novos mercados e entrada de novas empresas nas atividades de comércio exterior. O ministro afirmou que, para surpresa da equipe, os números da balança comercial que serão apresentados hoje são muito melhores do que o esperado.Furlan afirmou também que não vê nada de errado no fato de as importações crescerem 20% neste ano. Ele argumentou que houve estagnação econômica nos anos anteriores, o que causou queda nas compras brasileiras do exterior. Agora, com a retomada econômica, o Brasil passa a comprar mais petróleo, fertilizantes, bens de capital e de consumo duráveis.Otimismo e projetosEle disse aos empresários, no 2º Congresso da Indústria Paulista, promovido pela Fiesp, que "fala com o pé no chão" quando diz que o Brasil vai crescer mais de 4% neste ano. "Não há jeito de não ser otimista", afirmou o ministro. Ele disse que está conversando com o setor produtivo e que, por isso mesmo, sabe o que está acontecendo. O ministro afirmou, sem dar detalhes, que o Brasil está atraindo um projeto de fabricação de aparelhos de telecomunicação que vai resultar em exportações da ordem de US$ 1 bilhão ao ano. Furlan ressaltou que não há nada de errado em o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fazer propaganda dos produtos brasileiros em suas viagens ao exterior. Segundo ele, os líderes estrangeiros sempre fazem lobby pelos seus produtos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.