Furlan diz que Brasil deve fechar acordo com China até amanhã

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luis Fernando Furlan, que se encontra em Pequim, disse hoje esperar que o acordo entre Brasil e China seja fechado até amanhã. "A conversa que tivemos deixou margem para um entendimento", afirmou o ministro, deixando claro que a delegação brasileira tem uma tarefa difícil a ser cumprida. "É uma negociação que requer uma paciência chinesa", desabafou, em entrevista ao vivo à Agência Estado.O acordo prevê a restrição voluntária das exportações chinesas, especialmente na área de têxteis e confecções. Uma delegação técnica brasileira está, desde a semana passada, em negociações com as autoridades chinesas.Nesta queda-de-braço, o ministro Furlan espera conseguir pelo menos, de imediato, acordo envolvendo algumas linhas de produto. "Como há interesse político de ambos os lados de chegar a um entendimento, espero que o início desse entendimento comece amanhã", declarou o ministro, que se reúne novamente amanhã com o ministro do Comércio da China, Bo Xilai.PerspectivasO ministro comentou ainda que na segunda-feira, dia 3, quando saírem os dados da balança comercial de setembro, o Ministério do Desenvolvimento deverá rever as projeções para 2005. Já as estimativas para 2006, permanecem em R$ 120 bilhões, um número próximo ao projetado pelo Banco Central, de US$ 121 bilhões.Segundo ele, os resultados da balança devem continuar otimistas, apesar da forte valorização do real. "As exportações continuam crescendo ao ritmo de 20% ao ano", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.