Furlan espera crescimento ´em velocidade de cruzeiro´

O ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, espera que o Brasil cresça "em velocidade de cruzeiro" a partir de agora. Segundo Furlan, "a nossa visão no Ministério é de que, na virada do ano (2006), a economia brasileira esteve em velocidade razoável. No último trimestre de 2007, temos que estar crescendo 5% e, assim, a possibilidade é de crescimento maior no ano que vem". Ele destacou ainda que o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de 2006 já é coisa do passado. Furlan não quis definir uma meta para o crescimento fechado do PIB de 2007 e, sobre o desempenho do ano passado, disse que "estamos em março, nessa altura pensar no PIB de 2006 é como pensar quem foi o campeão brasileiro no ano passado. Passou e ponto".O ministro ressaltou que a economia entrou em 2007 crescendo em uma velocidade de 4%. "O bom desse número (do PIB de 2006) é que viramos o ano ao redor de 4%, o que é diferente de 2,9%".TurbulênciasFurlan avalia que a turbulência no mercado mundial nos últimos dias "pode ser uma boa oportunidade para os investidores (no Brasil), porque a performance de empresas brasileiras não tem um milímetro de afetação, as exportações da Vale (Companhia Vale do Rio Doce) ou a produção do setor automotivo não foram afetadas", disse. Para Furlan, a turbulência é uma "acomodação" do mercado a um período de forte crescimento.De acordo com ele, o Brasil "está em muito boas condições" para enfrentar a turbulência e a queda na bolsa brasileira é conseqüência apenas de "um alinhamento da globalização".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.