finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Furlan estima dois recordes no comércio exterior

O ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, informou nesta sexta-feira que o País encerrará o ano com dois recordes históricos no comércio exterior: US$ 112 bilhões em exportação e um superávit comercial de US$ 35 bilhões.Segundo ele, o câmbio tem afetado alguns setores, como calçados e confecções, mas por outro lado tem favorecido produtos com componentes importados, como os telefones celulares, cujas exportações estão crescendo muito. O ministro classificou de inesperada, até para analistas brasileiros e estrangeiros, a alta do real em relação a moedas estrangeiras como o dólar, o iene e o euro, principais destinos das exportações brasileiras. Ainda assim, Furlan acredita que o Brasil continuará com um crescimento da balança comercial superior à média mundial.Nos últimos dois anos, os maiores crescimentos globais de corrente de comércio foram registrados pela Rússia e China, com 35% de crescimento, seguidas pelo Brasil, com 30%, enquanto que a média global ficou na casa de 10%. Este crescimento, segundo Furlan, tem a ver com a abertura de novos mercados pelo Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.