Furlan nega acordo fechado para ajudar fabricantes de carros

O ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, negou na noite desta sexta-feira que o governo já tenha decidido as medidas emergenciais para reativar o setor automotivo. Ele questionou se a principal medida reivindicada pelo setor, a redução do IPI, terá eficácia. "Será que a redução do IPI tem realmente influência na decisão de compra?", indagou. O ministro confirmou que qualquer decisão que venha a ser tomada terá de ser referendada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Apesar de dizer que o pacote emergencial não está decidido, Furlan confirmou que há preocupação do governo sobre os problemas que o setor atravessa. O ministro não quis comentar as declarações do ministro do Planejamento, Guido Mantega, feitas ontem, de que a redução do IPI já estaria decidida e seria anunciada em poucos dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.