Furlan negocia mudança em regra para enquadramento no Simples

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, informou hoje que está negociando com o Ministério da Fazenda mudanças nos critérios de enquadramento de micro e pequenas empresas no Simples ? sistema unificado de tributação. Além disso, quer que o valor das exportações anuais realizadas por empresas desse porte não seja contabilizado para efeito de enquadramento no Simples. Trata-se, segundo Furlan, de um incentivo para elevação das exportações dessas empresas. Conforme explicou o ministro, o valor de enquadramento no Simples poderá aumentar 50% a 70% sobre as cifras que foram definidas em 1999, válidas até hoje. É considerada pequena a empresa que fatura até R$ 1,250 milhão por ano. Microempresa é aquela com faturamento anual de até R$ 120 mil. "Nós temos boa vontade e estaremos completando os estudos nos próximos dias. Mas não há, ainda, a possibilidade de anunciar a medida este mês", afirmou Furlan, mas adiantou: "Vejo positivamente a resposta que o Ministério da Fazenda vem nos dando". Ele fez essas afirmações em entrevista, logo ao término de sua participação no Fórum Permanente de Pequenas e Microempresas, no Hotel Naoum. Simpi tem outras reivindicações A Associação Nacional dos Sindicatos da Micro e Pequena Empresa (Simpi), entretanto, tem outros pleitos a apresentar ao governo. Ela reivindica a obtenção do reajuste anual do valor do enquadramento como pequena ou microempresa com base num índice oficial de inflação. Também quer a extensão do Simples a setores hoje excluídos, como o de construção civil e aos profissionais liberais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.