coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Furlan negociará na China cotas para têxteis, calçados e brinquedos

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, disse hoje que deverá negociar, em sua viagem para a China neste mês, restrições voluntárias à exportação para diversos produtos, além dos já anunciados têxteis e confecções. Segundo o ministro, que participou da abertura da Cosmoprof Cosmética, entrarão também na pauta da negociação com os chineses brinquedos, alguns segmentos de eletroeletrônicos e calçados.Furlan informou que o Ministério ainda está recolhendo informações dos setores para completar a pauta de negociações. A viagem à China é resultado de pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo o ministro.Na avaliação de Furlan, a negociação das restrições não impede a regulamentação das salvaguardas contra exportação de produtos chineses, já aprovada pela Câmara de Comércio Exterior (Camex), mas ainda não publicada.A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) divulgou nota na semana passada contra a negociação de restrições voluntárias e a favor da regulamentação das salvaguardas. "Os dois mecanismos são independentes", finalizou o ministro.

Agencia Estado,

09 de setembro de 2005 | 14h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.