Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Furlan participa do Conselho das Américas em Washington

O ministro de Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, vai participar, no dia 3 de maio, em Washington, da 34a Conferência Anual do Conselho das Américas. Além de empresários de grande peso, banqueiros e investidores, autoridades do governo norte-americano já confirmaram presença, entre eles o próprio presidente George W. Bush e o secretário do Departamento de Estado, Colin Powell. De acordo com a assessoria do Ministério, o ministro Furlan proferirá palestra sobre a área de comércio exterior brasileiro, que vem mostrando um dos melhores desempenhos dos últimos anos. Antes de embarcar para Londres, onde dia 5 participa de um coquetel e acompanhado um desfile de moda brasileira, durante a abertura do evento de promoção de produtos brasileiros na loja de departamentos britânica Selfridges, o Ministros deve aproveitar para conversar sobre a Área de Livre Comércio das Américas (A lca) com o representante de comércio da Casa Branca, Robert Zoellick. Os Estados Unidos já sinalizaram ao Brasil que querem retomar o diálogo para a criação do bloco. Nesta semana,negociadores brasileiros deverão estar em Nova York e Washington para tentar explorar alternativas para reabrir o processo de negociações. Altos funcionários do Itamaraty declararam recentemente que a Alca nunca chegou a fracassar e que seria "irresponsabilidade" de parte do Brasil dizer que o mercado norte-americano não é importante. "Nós precisamos do mercado americano e a Alca é a possibilidade que temos para ter maior acesso a esse mercado", declarou o diretor geral do Departamento de Negociações Internacionais do Itamaraty, ministro Régis Percy Arslanian. Para ele, a negocia ção com os EUA é importante e o País não pode prescindir disso. "A Alca não morreu e para o Brasil não interessa isso", afirmou Arslanian.

Agencia Estado,

24 de abril de 2004 | 16h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.