Furlan pede a empresários para que diversifiquem exportações

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, pediu velocidade e criatividade aos empresários para emplacar no mercado externo produtos de qualidade e origem brasileira. "Temos que agregar emoção, fazer coisas que as pessoas tenham desejo de comprar e não só necessidade", disse. Citou os biquíni brasileiros que têm valor muito maior que o algodão bruto. Em geral, lembrou Furlan, a imagem do Brasil no exterior ainda está associada a samba, café e futebol. "Temos que mostrar aos outros o que realmente somos, diversificar o mercado e os conceitos", afirmou. Ele insistiu em sua cruzada de desburocratizar os procedimentos de produção e disse que uma das funções do Ministério é desembaraçar o setor privado para estimular exportações. O ministro participou da abertura da 67ª edição do Encontro de Comércio Exterior, que ocorre hoje em Campinas. Ele disse que as exportações este ano irão passar "com folga" de US$ 70 bilhões e a previsão de crescimento para 2004 é de 10%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.