Furlan prevê em 30% relação entre comércio exterior e PIB

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Luiz Fernando Furlan, disse hoje, em pronunciamento gravado, que a relação do comércio exterior brasileiro sobre o Produto Interno Bruto (PIB) chegará a 30% até o fim do governo Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com o ministro, o patamar que vigorou durante cerca de dez anos foi de 14%. Agora, no entanto, com o crescente fluxo comercial, a taxa subirá a níveis capazes de dar ao País um grau de abertura que facilitará a redução do risco Brasil (taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro em relação à capacidade de pagamento da dívida do País) e a conquista, no curto prazo, de investment grade (grau de investimento que garante ao País a possibilidade de captação de recursos no exterior a taxas mais competitivas).Segundo o ministro, que gravou depoimento para o seminário internacional "Global Players From Emerging Markets: Brazil", o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deseja que, pelo menos, um dúzia de novas multinacionais brasileiras sejam criadas nos próximos anos. De acordo com dados divulgados no seminário, quanto maior a abertura comercial de um país, maior sua competitividade para atuar no exterior.Furlan afirmou que "não existe país de primeiro mundo sem empresas de primeiro mundo". Ele ressaltou ainda que o Brasil não pode admitir que setores nos quais o País seja altamente competitivo fiquem esperando o mercado vir até eles. "Já somos hoje um grande exportador, mas, para sermos mais sólidos, precisamos ser um país com empresas que investem no exterior", comentou.Estratégia de internacionalizaçãoO representante do MDIC no seminário, Ingo Plöger, diretor de Investimentos da Apex, disse que mais de 100 empresas brasileiras acompanharam o presidente Lula na viagem à Coréia e ao Japão, na semana passada. De acordo com o executivo, isso faz parte da estratégia de internacionalização de empresas.O seminário é promovido pela Fundação Dom Cabral, Comissão da ONU para Comércio e Desenvolvimento (Unctad) e MDIC e faz parte de uma série de eventos para estimular a internacionalização de companhias de países emergentes em todo o mundo promovidos pela Unctad.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.