Furlan reclama das barreiras argentinas

O Brasil não poderá continuar tolerando os entraves comerciais argentinos que prejudiquem o País beneficiando terceiros. Este foi um trecho da conversa entre os ministros Antônio Palocci (Fazenda), Luiz Fernando Furlan (Desenvolvimento) e o argentino Roberto Lavagna (Economia), conforme confidenciou Furlan ao programa Espaço Aberto, da Globo News: "O ministro Palocci e eu tivemos uma conversa com o ministro Lavagna, por telefone, nesta semana, enfatizando que, passados 60/90 dias das atitudes do governo argentino, nós não podemos continuar tolerando barreiras que prejudiquem o Brasil em benefício de outros países", disse Furlan. "Não é esse o espírito do Mercosul", acrescentou.Como resposta, o ministro argentino convidou os colegas brasileiros a ir a Buenos Aires para negociar. "O Mercosul tem que ser pra valer e medidas pontuais como essas prejudicam o relacionamento bilateral."Sistema e cotas russo prejudica o BrasilO ministro também aproveitou para reclamar do sistema de cotas adotado pela Rússia para os produtos brasileiros de origem animal. Luiz Fernando Furlan, que foi presidente do Conselho de Administração da Sadia, disse que o Brasil vai tentar resolver o problema durante a visita do presidente russo, Vladimir Putin, ao País, em novembro. "O sistema prejudica o Brasil, mas beneficia a União Européia e os Estados Unidos", lembrou Furlan. "Nós imaginamos que, com a vinda do presidente Putin aqui, possamos melhorar essa relação e, ao mesmo tempo, importar mais produtos da Rússia, uma vez que a balança comercial favorece bastante o Brasil."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.