Fusão AmBev/Interbrew é destaque na Europa

A fusão entre a AmBev e a belga Interbrew, por meio de um complexo intercâmbio acionário e de ativos, para criar o maior grupo mundial por volume e o segundo em vendas, com faturamento conjunto de 9,5 bilhões de euros, é destaque hoje em grande parte dos sites dos jornais econômicos europeus na internet. O espanhol "Expansión" informa que a Interbrew vai entrar "em cheio" no mercado latino-americano, onde existem grandes perspectivas de crescimento. O jornal traz informações de que o consumo de cerveja no Brasil - quarto maior mercado do planeta, atrás apenas da China, Estados Unidos e Alemanha - cresceu 1,9% em 2003. "Já em 2002 havia crescido 1,2%, enquanto que Europa as cifras mostraram uma retração de 0,1% no consumo", informa o "Expansión". O site do também espanhol "Cinco Dias", acrescenta que a nova gigante que vai surgir da fusão entre as duas companhias vai ficar com 14% de participação no volume de vendas de cerveja no mundo. "O novo grupo, que vai se chamar InterbrewAmBev, com sede em Leuven, vai desbancar a norte-americana Anheuser-Busch, fabricante da Budweiser", diz o jornal econômico. Ainda para o "Expansión", a fusão vai permitir um corte de gastos de 280 milhões de euros por ano. "A InterbrewAmBev terá uma preço em bolsa superior a US$ 20 bilhões, 14% do mercado mundial e terá o segundo faturamento, atrás apenas da Anheuser-Busch, que até agora ocupava a primeira posição em volume", acrescenta. Ainda de acordo com a imprensa européia, a companhia belga vai pagar 3,26 bilhões de euros aos três sócios brasileiros por 22% da AmBev, que controla 2/3 do mercado brasileiro. Além disso, informa, pagará 1,2 bilhão de euros pelas ações ordinárias em mãos de minoritários. "A AmBev, por sua vez, vai emitir 9,5 bilhões de ações ordinárias, 13,8 bilhões de títulos preferenciais e assumirá US$ 1,5 bilhão de dívida para ficar com a Labatt, subsidiária canadense da Interbrew, cujo valor está estimado em 4,6 bilhões de euros." A Labatt controla 30% dos negócios da Interbrew no México e 70% nos Estados Unidos. Já o jornal "El Mundo" informa que a Interbrew vai emitir 141,7 milhões de novas ações destinadas aos acionistas da Braco, que, com sua subsidiária Ecap controlam um número de ações que representa 52,8% dos direitos de voto. Leia mais AmBev tem lucro líquido de R$ 1,411 bilhões em 2003 AmBev não está sendo comprada, diz InterBrew Lucro da Interbrew subiu 9,1% em 2003, abaixo do esperado Ações da Interbrew caem 5,35% com anúncio de acordo Ambev e Interbrew anunciam termos de troca de ações Ambev admite vazamento de informações sobre fusão Ambev será investigada por uso de informação privilegiada AmBev anuncia que negocia várias operações com Interbrew Negociação AmBev-Interbrew derruba ações na Bélgica

Agencia Estado,

03 Março 2004 | 11h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.