coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Fusão cria segunda maior cervejaria dos Estados Unidos

Parceria entre SABMiller e Molson Coors pode pressionar Anheuser-Busch a se unir à InBev

Reuters, O Estadao de S.Paulo

10 de outubro de 2007 | 00h00

As cervejarias SABMiller e Molson Coors Brewing anunciaram ontem a fusão de suas operações nos Estados Unidos. A joint venture, que se chamará MillerCoors, terá vendas anuais de US$ 6,6 bilhões e será a segunda maior empresa de cervejas dos EUA, atrás apenas da Anheuser-Busch, dona da marca Budweiser.A transação junta a segunda maior cervejaria do mercado americano, a SABMiller, detentora de marcas como Miller Lite, Miller Genuine Draft e Milwaukee''''s Best, à terceira maior, a Molson Coors, que fabrica as cervejas Coors Light, Molson Canadian e Molson Dry.Segundo Bonnie Herzog, analista do Citigroup, o negócio será positivo para a Molson Coors e poderá acelerar uma eventual junção da Anheuser-Busch com a maior cervejaria do mundo, a belgo-brasileira InBev. Mas converterá o mercado de cerveja americano em um duopólio. A transação, por isso mesmo, ainda está sujeita à aprovação das autoridades de concorrência americanas.''''Estamos confiantes na liberação. Acreditamos que essa é uma transação pró-concorrência'''', disse o diretor-presidente da Molson Coors, Leo Kiely, que se tornará o diretor-presidente da joint venture. O diretor-presidente da SABMiller, Graham Mackay, disse que a nova empresa terá uma parcela de cerca de 30% do mercado americano, somando-se a parcela de 19% da SABMiller com a de 11% da Molson Coors, enquanto a Anheuser-Busch tem 50% do mercado.Segundo Mackay, as sinergias de US$ 500 milhões decorrentes da transação virão de economias principalmente com distribuição e vendas, mas não serão fechadas nenhuma das oito fábricas das empresas nos EUA - seis da SABMiller e duas da Molson Coors.As empresas, que vêm mantendo conversações há cerca de um ano, disseram que a expectativa é que o acordo definitivo para a transação esteja concluído no final do ano, enquanto os analistas acrescentaram que a aprovação do órgão de concorrência deve vir de seis a nove meses após essa data.Segundo analistas há uma grande probabilidade de que a transação realmente se concretize, já que, do ponto de vista da regulação, já foi estabelecido um precedente com a Reynolds American. Em 2004, a Reynolds American comprou de uma só vez a segunda e a terceira maiores fabricantes de cigarro dos Estados Unidos para competir com a Altria, fabricante do Marlboro.DIREITO DE VOTOPelo acordo anunciado ontem, a SABMiller ficará com 58% da joint venture, enquanto a Molson Coors ficará com os 42% restantes. Apesar disso, os direitos de voto foram divididos meio a meio entre os dois grupos.A SABMiller, com sede em Londres, é a segunda maior cervejaria do mundo em volume de vendas. O grupo foi formado em 2002, a partir da compra da Miller pela SAB, mas tem tido dificuldades para progredir nos Estados Unidos na sua luta contra a Anheuser-Busch, principalmente nas suas tentativas de empurrar os preços para cima. Sua participação no mercado caiu para menos de 20%.A Molson, do Canadá, juntou-se ao grupo americano Coors em 2005 e, a despeito do sucesso da Coors Light, tem lutado também para aumentar sua parcela de mercado. Suas outras grandes operações, no Canadá e na Grã-Bretanha, não serão afetadas pela transação nos Estados Unidos.NÚMEROSUS$ 6,6 bilhõesé a receita combinada da SABMiller e Molson Coors nos EUAUS$ 500 milhõesserá a economia conseguida pelas empresas com ganhos na distribuição e vendas30%do mercado americano terá a MillerCoors, empresa formada a partir da junção das duas operações50%do mercado americano tem a líder Anheuser-Busch

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.