Fusão do Banco de Chile com Banco Edwards provocará mil demissões

Quando o processo de fusão entre o Banco de Chile e o Banco de A. Edwards estiver totalmente concluído, cerca de mil funcionários já terão sido demitidos, segundo informou o jornal El Mercurio, citando o executivo-chefe do Banco de Chile, Pablo Granifo. Até agora, cerca de 400 funcionários perderam seus empregos devido à união dos dois bancos, disse Granifo ao jornal chileno. O processo deve continuar em andamento por outros 15 meses, de acordo com a matéria. A fusão, que criou a maior instituição financeira do Chile sob o nome Banco de Chile, entrou em vigor no dia 2 de janeiro. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.