Futuro da mobilidade em debate
Conteúdo Patrocinado

Futuro da mobilidade em debate

Edição do Diálogos Estadão Think patrocinada pela Buser tratará dos impactos da inovação na forma como as pessoas se deslocam

Buser, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

13 de outubro de 2021 | 08h00

O futuro da mobilidade e a importância da inovação no setor de transporte rodoviário estarão em debate no dia 19 de outubro, a partir das 17h30, numa edição do Diálogos Estadão Think patrocinada pela Buser, maior plataforma de intermediação de viagens do Brasil, que se tornou conhecida por lançar o modelo de fretamento colaborativo – modalidade em que os passageiros dividem a conta da viagem, chegando a preços até 60% menores que na rodoviária, em ônibus de qualidade e ainda mais segurança.

O governador de São Paulo, João Doria, será o keynote speaker do evento. Durante a sua palestra, ele vai abordar a importância da inovação para o Estado mais rico do País. Na sequência, ocorre o painel “Inovação e regulação”, tendo como tema central o vácuo regulatório que ocorre entre a chegada das inovações e a adaptação das leis a essas novidades. Entre os debatedores confirmados, estão Geanluca Lorenzon, secretário de Advocacia da Concorrência e Competitividade (Seae) do Ministério da Economia, e Juliana Natrielli, diretora de Políticas Públicas e Regulatório da Buser.

O fio condutor dos debates será o papel da tecnologia para ampliar as opções de transporte e proporcionar mais flexibilidade e liberdade aos passageiros. “A Buser nasceu para revolucionar o transporte rodoviário, um setor que não se renovava fazia décadas. Como toda inovação, gerou questionamentos assim que surgiu”, afirma a diretora da startup. “Queremos aproveitar este momento de crescimento da nossa plataforma, aproveitar que o brasileiro tem demandado cada vez mais os nossos serviços, para debater com a sociedade e autoridades como a inovação é capaz de melhorar a vida das pessoas, convivendo com outros modelos. Queremos mostrar que o futuro da mobilidade prevê mais liberdade para os passageiros”, reforça a executiva.

O debate é importante, ainda, para esclarecer mitos e inverdades já disseminados sobre o modelo adotado pela Buser. Diferentemente do que afirmam as velhas empresas, o fretamento intermediado pela plataforma é uma atividade legal, possui licença para operar e, assim como a própria startup, recolhe todos os impostos. Importante reforçar que todos esses aspectos são exigidos e fiscalizados pelos órgãos públicos, requisito para que essas empresas estabeleçam parceria com a Buser.

O segundo painel, “Como a tecnologia vai ditar o futuro do turismo”, discutirá e projetará as mudanças no setor de viagens e como isso está revolucionando a experiência do viajante, com a participação do publicitário e jornalista de viagens Ricardo Freire.

Os painéis reunirão ainda outros especialistas em mobilidade, em turismo e representantes dos Poderes Legislativo e Executivo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.